img_Header_logo

"É bom que você entenda que arte - e aqui me refiro especificamente à música - não é uma questão de gosto. Temos de exercitar nossa compreensão, ou seja, é preciso que nosso entendimento emocional seja bem desenvolvido, através da nossa sensibilidade"

Olmir Stocker "Alemão"

Discos de cabeceira: Rich versus Roach

Um dos mais espetaculares duetos de Bateria realizado. Se preferirem, “duelo”, “batalha”. Foi o encontro das Big Bands de Buddy Rich, o “Pelé” da Bateria e de Max Roach, o baterista que tocava Música em seus solos, melodias. Esse encontro se deu em um estúdio em Nova York na década de 50, uma verdadeira “drum battle” entre os protagonistas.

Essa gravação é muito interessante: cada banda ocupa um canal do stereo da gravação e o efeito auditivo é ímpar e peculiar, fantástico. Max Roach apresenta frases melódicas, mostrando sua linguagem inovadora e uma sensibilidade impressionante na construção de seu solo. Já desfila toda sua técnica, velocidade e precisão, mostrando porque até hoje é considerado o maior baterista de todos os tempos. Foi nessa gravação que ouvi o Rulo Simples, Single Roll, ou seja, um toque para cada mão, mais limpo e rápido, nas baquetas de Mr. Rich.

O tema tem o nome de Figure Eights, são 4 compassos de 4 tempos para cada “matador” solar e é, no 2:00 do solo, que você pode ouvir essa pérola de rudimento, muito rápido e muito limpo, impressionante. No 3:25 então, o baterista o distribui nos pratos de ataque com o bumbo, fazendo com que percebamos a intensidade técnica da fera e seu momento profissional. Max Roach tem um vocabulário mais melódico em seus trabalhos e apresenta seu solos como “quadros de pintura”: suas criações retratam situações como o vento no mar, borboletas, elefantes na África, trazendo toda a magia em nossa imaginação, sensação que só a Música dos tambores pode nos dar.

Álbum antológico, obrigatório!
 
 

Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Duda Neves

Duda Neves

Nascido Eduardo Augusto Neves, em 5 de Novembro de 1953 em São Paulo, Capital, é reconhecido pela crítica especializada e pelo público em geral, como um de nossos melhores instrumentistas. A revista francesa “Jazz Hot” o apontou em 1990 como um dos melhores bateristas de Jazz do mundo e a revista “Bizz” como um de nossos melhores bateristas. Toca Bateria profissionalmente desde os 12 anos de idade já tendo trabalhado com Simone, Belchior, Fábio Jr., Jorge Benjor, Tetê Espíndola, Tim Maia, João Donato, Edu Lobo, Arrigo Barnabé entre outros. Morou em Nova York nos Estados Unidos na década de 80 onde tocou com grandes nomes do Jazz como Charlie Rouse, Don Salvador, Dom Um Romão, Nana Vasconcelos, Raul de Souza, Guilherme Vergueiro, Márcio Montarroyos, entre outros.

Converse com a gente!

Envie sua mensagem, crítica, sugestão ou elogio.

© 2009/2019 BIM | Brazilian Instrumental Music – Todos os direitos reservados.

É proibida a cópia ou reprodução total/parcial do conteúdo do site, não importa a mídia, sem autorização prévia da direção.