img_Header_logo

"É bom que você entenda que arte - e aqui me refiro especificamente à música - não é uma questão de gosto. Temos de exercitar nossa compreensão, ou seja, é preciso que nosso entendimento emocional seja bem desenvolvido, através da nossa sensibilidade"

Olmir Stocker "Alemão"

O “Tulsa Sound” de Eric Clapton

O “Tulsa sound” contava com quatro  músicos oriundos  do estado de Oklahoma( sendo dois de Tulsa ), incluindo os vocais de Marcy Levy(Marcella Detroit)

Tenho  em mãos a edição original de 1978, trata-se de um gatefold com capa com textura imitando couro e letras douradas. Na foto, Clapton está usando  um cachecol com as cores do seu time do coração (Baggies) empunhando sua stratocaster sob a luz indireta de um abajur, ponto para o vinil, a experiência sensorial é muito mais bacana com ele.

*Backless encerra  a colaboração  com a banda que pautou o som Country/Rock dos últimos trabalhos. O “Tulsa sound” contava com quatro  músicos oriundos  do estado de Oklahoma( sendo dois de Tulsa ), incluindo os vocais de Marcy Levy(Marcella Detroit)

Golden Ring é a faixa predileta de EC, já a minha é Promises. EC não escreveu a letra mas optou por gravá-la e teve êxito em criar uma ambiência  onde quartos de hotel, bebida e  relacionamentos problemáticos dão o tom. EC nessa época entornava  o que aparecesse pela frente e  na quantidade disponível,o que não comprometeu em nada a qualidade do disco.

Backless favorece uma audição  calorosa e relaxada e Promises é uma balada Country, onde  os vocais do Clapton e da Macy Levy e a guitarra slide de George Terry, que  se não soubesse diria que era o George Harrison,  se  amalgamaram no refrão, resultando  num efeito estético daqueles que  não dá para ficar melhor que isso.

EC  é conhecido também por ser um “guitar Hero”mas Promises não tem solo de guitarra, então de onde vem sua  força de atração? Pode-se dizer que a força vem da simplicidade da música, acho que sim, mas não somente isso, há muitas canções simples por aí que na verdade não tem muito a dizer.

Acho que  o segredo do sucesso está na sua integridade, música e letra reverberam no coração das pessoas que se identificam com ela. A banda também teve um extremo bom gosto na escolhas dos timbres dos instrumentos, seja no tom da voz do EC e  o backing vocal de Macy Levy, no smoky sound do teclado ao fundo… enfim, quando a música termina ela deixa aquele gostinho de  quero mais, ela faz você se sentir bem, e isso somente já é uma ótima razão para defini-la como um Hit.

*Na turnê Europeia para lançamento do álbum, EC contou com a presença de Muddy Waters no palco e também como uma espécie de  conselheiro.


Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
João Carlos Fávaro

João Carlos Fávaro

Produtor Executivo (BIM – Vinil Review – Na Agulha do Vinil) Dos meus discos de Vinil acumulados em muitos anos de garimpagem em lojas, feiras e recentemente pela internet e acreditar no poder transformador da música, é que resolvi criar esse projeto de divulgação e valorização da música e de quem faz a música. Atrás de um grande álbum tem toda uma história de dedicação de pessoas. Do músico que passou anos se dedicando ao seu instrumento, do Produtor, do Engº de som, enfim.... teve a contribuição de muita gente. Comecei com uma ideia e a disposição de tirá-la do papel, daí surgiram os projetos Vinil Review de qual sou cofundador, Na Agulhado Vinil e agora o BIM. Só consegui isso pela dedicação e amor pela música de nossos parceiros.

Converse com a gente!

Envie sua mensagem, crítica, sugestão ou elogio.

© 2009/2019 BIM | Brazilian Instrumental Music – Todos os direitos reservados.

É proibida a cópia ou reprodução total/parcial do conteúdo do site, não importa a mídia, sem autorização prévia da direção.